Shows

Fábio Zanon encanta público do Ibirapuera em show do Acervo Violão

Com vigorosa e expressiva interpretação do Prelúdio nº 5, também conhecido como Ponteado Nordestino, de Guerra-Peixe, Fábio Zanon homenageou o centenário do compositor logo na abertura do show de lançamento do Acervo Digital do Violão Brasileiro, no domingo (21/09), no Auditório Ibirapuera, em São Paulo. Em seguida, o violonista exibiu com grande fôlego em dois clássicos do espanhol Enrique Granados: Dança Espanhola nº 5  e La Maja de Goya.

Para ilustrar a influência que o paraguaio Agustin Barrios excerceu na música brasileira e latinoamericana, Fábio Zanon interpretou Danza Paraguaia. E na sequencia desenvolveu um repertório temas de diferentes compositores, criados a partir de danças típicas, como Porro, do colombiano Gentil Montaña, cuja linha ritmica se assemelha ao carimbó do Pará. No encerramento da sua apresentação, Zanon fez o Estudo nº 9, de Francisco Mignone, e o baião Bate Coxa, de Marco Pereira, mesclando a riqueza sonora do universo clássico, com o molejo e a descontração do melhor violão popular.

Com senso estético apurado, conhecimento enciclopédico sobre o instrumento e carisma singular, Zanon dominou a platéia, mesmo após o aceno de despedida para o público, que ficou com aquele clima de quero mais. E mais uma vez demonstrou porque é um dos maiores violonistas clássicos do mundo.

Sob direção artística do produtor Alessandro Soares, e iluminação de Patrícia Ferraz, o espetáculo teve mais duas atrações: Duo Siqueira Lima e a cantora Ná Ozzetti, acompanhada dos violonistas Marcos Alves e Carlos Chaves.  

VOLTAR
NIG

Tags